Notícia

35 milhões de brasileiros não têm água potável

Governo terá que investir mais de R$ 300 bi para atingir meta até 2033


De acordo com números do Governo Federal, mais de 35 milhões de brasileiros não têm acesso a água potável e menos de 45% do esgoto é tratado no país. O Plano Nacional de Saneamento Básico prevê que universalização do esgoto e da água no Brasil seja atingida em 2033 mas para alcançar este objetivo, o governo terá de investir mais de R$ 300 bilhões no tratamento de esgoto e na distribuição de água potável.


Esse cenário faz com que a defesa dos recursos hídricos vá além de apenas garantir o abastecimento dos reservatórios de água das grandes cidades. “Por isso, adotar e fazer valer medidas responsáveis para o uso da água e de proteção aos mananciais é uma obrigação vital das nações, estados, municípios, populações do campo e das cidades, ou seja, de todos” ressalta o especialista em Hidrossedimentologia da Universidade de Brasília (UnB), Henrique Leite Chaves.


“O manejo dos recursos hídricos no Brasil, a despeito da nossa legislação hídrica ser bastante avançada, ainda merece muita atenção de todos, dos gestores e da população em geral”, acrescenta. A preocupação do especialista tem sentido. Afinal, a água potável não é um recurso natural infinito e as possíveis consequências do manejo inadequado podem ser sentidas de forma geral, em toda população.


“Por que não adianta, apenas, governos ou setores técnicos estarem buscando avançar com essa agenda, mas toda a sociedade deve estar participando também porque ela, em última análise, é que pode sofrer as consequências de uma má gestão da água. Chaves lembra que o investimento em saneamento básico representa economia na saúde em proporção de um para quatro, ou seja: a cada real investido em saneamento, o governo economiza quatro em saúde.


Levantamento feito pelo IBGE revela números positivos na relação uso de água e faturamento na economia. De acordo com o indicador de eficiência hídrica do instituto, a cada mil litros de água usados, os setores econômicos faturaram quase R$ 170. A agricultura e a pecuária são os setores que mais consomem água no Brasil, cerca de 24 bilhões de m³ por ano, segundo dados do IBGE. Em compensação, o setor agropecuário produziu para a economia cerca de R$ 546,3 bilhões no passado. Essa é a maior receita do setor nos últimos 27 anos. Os dados são do Ministério da Agricultura.


Qualidade


Na semana em que o Brasil sedia o Fórum Mundial da Água, a Fundação SOS Mata Atlântica apresenta um panorama sobre a qualidade da água de 230 rios, córregos e lagos do bioma.


Apenas 4,1% (12) dos 294 pontos de coleta avaliados possuem qualidade de água boa, enquanto 75,5% (222) estão em situação regular e 20,4% (60) com qualidade ruim ou péssima.


Isso significa que em 96% dos pontos monitorados a qualidade da água não é boa e está longe do que a sociedade quer para os rios. Nenhum dos pontos analisados foi avaliado como ótimo.


O levantamento foi realizado em 102 municípios dos 17 estados da Mata Atlântica, além do Distrito Federal, entre março de 2017 e fevereiro de 2018. Os dados foram obtidos por meio de coletas e análises mensais de água realizadas por 3,5 mil voluntários do programa "Observando os Rios", com supervisão técnica da Fundação SOS Mata Atlântica.


Fonte: Monitor Mercantil


Data: 20/03/2018

TV UGT-RJ


Jornal UGT-RJ

Filie-se a UGT-RJ

Projeto Inclusão Digital

Cartilhas UGT-RJ


Visitantes

Contador de Acesso - Contador de visitas

Rádio Web Fire FM

Endereço: Rua Camerino, 128 7ºAndar, Centro - Rio de Janeiro, Cep: 20080-010

Telefone: (21) 2223-2656
Telefone: (21) 2223-7849
Desenvolvido por:


Todos os Direitos Reservados UGT RJ - União Geral dos Trabalhadores do Estado do Rio de Janeiro.