Notícia

Presidente nacional da UGT se reúne com ugetistas do Rio

Plenária discute o momento sindical e indica Nilson Duarte para concorrer a deputado federal

Presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah passou a manhã e parte da tarde desta quarta-feira, 4, na sede da central sindical no estado. Em reunião com os representantes de entidades filiadas, ele falou sobre o esforço empreendido pela entidade sindical junto às estaduais ugetistas no sentido de promover a união e o fortalecimento do movimento sindical. "Somente a solidariedade nos permitirá ultrapassar esse momento", garantiu ele.


Ao comentar os drásticos efeitos da reforma trabalhista, em particular no tocante às mudanças na aplicação da Contribuição Sindical, Patah afirmou ser "impossível viver no movimento sindical sem uma política de custeio".


A UGT, segundo ele, tem orientado às entidades filiadas nos campos jurídico, com as ações de inconstitucionalidade; e político, na constante busca de apoio de deputados e senadores. “Temos, ainda, três caminhos para manter os sindicatos: fazer sócios, criar alternativas de serviços e obter influência na política”, disse ele.


Validade da MP 808


Patah lamentou que o governo federal, apesar das intervenções das centrais sindicais junto ao então ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, tenha priorizado fazer a reforma sindical. "A finalidade foi evitar a sobrevivência do movimento sindical", destacou ele, alertando para a proximidade do dia 23 de abril, quando a Medida Provisória (MP 808) que altera pontos da Lei da Reforma Trabalhista perderá a validade e não poderá mais ser votada.


O líder ugetista criticou a incapacidade de reação política do movimento sindical, o que, na sua opinião, tem contribuído para a aprovação de medidas que resultam no enfraquecimento das entidades de representação dos trabalhadores.


“Somos milhões, votando em milhares que são minoria. Precisamos ter consciência política, usar os partidos em nosso favor. Nos compete iniciar um processo de conscientização do valor do voto”, enfatizou ele, reforçando a necessidade de se criar estratégias para a sobrevivência do sindicalismo.


Do seu ponto de vista, existem três características fundamentais para os candidatos políticos: estar longe de qualquer indicativo de corrupção, ter capacidade de gestão e gostar do cheiro do povo. “Precisa estar integrado com as questões necessárias daqueles que os elegeram”, acrescentou ele, abrindo o debate para as lideranças do estado.


Ugetistas indicam Nilson Duarte Costa para concorrer à deputado federal


Muitas foram as questões apresentadas: a reivindicação de aposentadorias especiais para categorias mais sacrificadas, ampliação da representação política do movimento sindical, proposição de uma ação conjunta e mais efetiva para barrar as reformas governamentais prejudiciais aos trabalhadores e a necessidade de maior assistência ao funcionalismo público, entre outras.


Os ugetistas do Rio também propuseram a indicação do presidente da UGT do Rio de Janeiro, Nilson Duarte Costa, para concorrer a uma vaga de deputado federal nas próximas eleições. A ideia já vinha sendo amadurecida pelo sindicalista que, na oportunidade, revelou sua disposição em se candidatar pelo Partido Social Democrata (PSD), sigla onde o presidente Ricardo Patah é filiado.


Depois de afirmar que há anos vem relutando em participar da vida política, Nilson pediu o total apoio das lideranças do estado para esta nova empreitada. A plenária foi encerrada pelo presidente Nilson Duarte Costa com a convocação do secretariado para uma mobilização para o planejamento de ações em torno dos temas e propostas discutidas na reunião.


Data: 05/04/2018

TV UGT-RJ


Jornal UGT-RJ

Filie-se a UGT-RJ

Projeto Inclusão Digital

Cartilhas UGT-RJ


Visitantes

Contador de Acesso - Contador de visitas

Rádio Web Fire FM

Endereço: Rua Camerino, 128 7ºAndar, Centro - Rio de Janeiro, Cep: 20080-010

Telefone: (21) 2223-2656
Telefone: (21) 2223-7849
Desenvolvido por:


Todos os Direitos Reservados UGT RJ - União Geral dos Trabalhadores do Estado do Rio de Janeiro.